Manipulando diretamente a Porta Paralela

Olá

Essa semana encontrei um texto sobre como controlar os pinos da porta paralela no site do RogerCom (http://www.rogercom.com/). O objetivo final era mandar o comando para fazer os leds acenderem ou apagarem. O Daniel quis fazer em FoxPro e eu fui pro c#. Como não necessitava de muito material, comprei os leds e os resistores e resolvi fazer.

 

O HARDWARE

Para fazer o hardware, usamos:

  • 1 placa de cartão (para fazer as soldas). Aqui pode ser qualquer coisa de plastico ou de papel, para dar sustentação aos leds
  • 8 Leds (qualquer cor). AVISO: LED tem lado. A perninha maior é o positivo.
  • 8 Resistores 470 ohm (amarelo, violeta, marrom). AVISO: Resistior não tem lado
  • 1 Cabo de impressora (que não vai mais ser usado)
  • Ferro de solda, estanho, multimetro, etc.

 

Para montar o hardware não tem muito segredo, é so seguir o desenho do site.


Peças antes do inicio da solda


Peças já soldadas na placa

Para montar o cabo, o Daniel me deu uma mão. Dentro do cabo da impressora tem uns 20 fios (mais ou menos), e é preciso encontrar fio a fio quem é quem. É ai que entra o multimetro.


Daniel e Eu encontrando os fios

Aqui aconteceu um acidente. Depois de identificarmos os cabos, pedi ao Daniel que cortasse os que não estavam em uso. Ele foi cortando. Quando terminou, viu que a etiqueta do fio nro 7 estava colada no meu braço. Tarde demais. O fio já estava cortado. Resultado: Lampada 7 permanentemente desligada 😛 Depois se der eu refaço as ligações.


Fios soldados

 

O Software

Para fazer o hardware funcionar, precisavamos arrumar o software. Achamos uma dll que controla a porta paralela no windows xp pra cima (no 98 é diferente) e partimos pra programação em VFP.

Depois de penar um pouco, encontramos uma ocx que facilitou a vida.

Depois o Daniel ligou uma ocx para tocar mp3 e ligou os leds com o sistema de graficos da ocx. Não funcionou como deveria.

Para fazer em .Net. encontramos um software e pegamos dele como fazer o led acender/apagar. Depois fiz uma aplicação inteira para fazer acionar o led.


Sw em .NET

FONTES

Led4.rar (301,49 kb) – Versão em .NET

Versão em VFP: Em Breve. Daniel vai usar os pngs das lampadas.

 

VIDEO

 

CONCLUSÕES

As minhas:
1) EU tenho que aprender mais de .NET. Ainda sei pouco e apanhei em coisas simples
2) No site do RogerCom tem muita coisa interessante. Vale a pena ler.
3) A ideia de acender lampadas pela casa via software vai sair. É só eu terminar as funções da faculdade.
4) Obrigado ao Eduardo Spaki que me deu uma mão na programação 😉

A do Daniel

1) “Prefiro não comentar”
FONTES:
http://www.rogercom.com/pparalela/introducao.htm
https://secure.codeproject.com/KB/cs/csppleds.aspx?display=PrintAll&fid=21021&df=90&mpp=25&noise=3&sort=Position&view=Quick&select=1066799&fr=251
http://www.google.com.br/

 

 

Windows 7 tem novo modelo de desenvolvimento

Quem trabalha na indústria sabe que construir software não é uma tarefa fácil. É um meio altamente volátil, sujeito a mudanças e podem ser muito mais complexos que a engenharia de um carro, por exemplo. Sabemos como um motor a explosão funciona por pelo menos 100 anos. O UNIX surgiu no começo dos anos 70 do século XX. Os sistemas operacionais modernos surgiram com o Mac OS, em 1984. O POSIX (Portable Operating System Interface) que é o padrão IEEE 1003 foi publicado em 1998. Além disso, sistemas operacionais (SO) estão entre os softwares mais complexos de serem criados.

A Microsoft, para o Windows 7, adotou uma nova forma de se trabalhar. Não existe mais software “beta” dentro de cada build do SO. As equipes só podem entregar algum recurso depois que o mesmo passou por um ciclo completo de desenvolvimento, depuração e testes. Nada de entregar uma parte do software 90% pronta, como um beta, e finalizar depois.

Os ciclos ou iterações, são de 3 meses, na qual, ao contrário do que muitos pensam, metade desse tempo é gasto em requisitos, planejamento, documentação e testes. O resultado dessa forma de se trabalhar é que mesmo em pré-beta, o Windows 7 surpreendeu pela estabilidade. E isso também resultou em outro ponto positivo: ao invés de entregar 10 itens funcionando mais ou menos, eles optaram por entregar 5 que funcionam bem.

Outra decisão foi trabalhar com os fabricantes de hardware para que os drivers sigam o modelo do Vista. Se funciona no Vista, deverá funcionar no Windows 7 e não apenas isso, com o feedback dos consumidores e da indústria, o recado foi dado: performance e consumo de recursos. E pela resposta do PDC 2008 parece que a gigante do software até o momento, acertou muito mais do que errou.

 

Fonte: MeioBit

Origem dos nomes das grandes empresas

A pessoa que quer abrir um novo negócio quase sempre tem tudo entabulado e planejado de como e o que fazer, mas quase sempre a última coisa a ser escolhida é o nome da empresa. O básico é juntar as iniciais de nomes ou palavras correlatas ao negócio. Foi assim que nasceram os nomes de algumas empresas famosas.

 

  • Adobe
    O nome veio do rio Adobe Creek que corria atrás da casa do fundador John Warnock.

 

  • Apple Computers
    Fruta favorita do fundador Steve Jobs. Ele começou a chamar a companhia de Apple, e disse aos seus colegas que se não sugerissem um nome melhor em 5 horas, já estaria decidido. Pois é, não sugeriram.

 

  • Google
    O nome Google foi escolhido por causa da expressão googol, que representa o número 1 seguido de 100 zeros, para demonstrar assim a imensidão de informação que o buscador pretende indexar. A expressão googol surgiu de um fato um tanto curioso, o matemático Edward Kasner questionou o seu sobrinho de 8 anos sobre a forma como ele descreveria um número grande – um número realmente grande: o maior número que ele imaginasse. O pequeno Milton Sirotta emitiu um som de resposta que Kasner traduziu por “googol”.

 

  • Hotmail
    O fundador Jack Smith imaginou a idéia de acessar o correio eletrônico via web de um computador em qualquer parte do mundo. Quando Sabeer Bhatia surgiu com o plano de negócios, ele tentou todas as espécies de nomes que terminam com “mail” (correio) e finalmente concordou com Hotmail. Juntamente com o “mail”, ele incluiu “html” – a linguagem de programação usada para escrever páginas da Web. Só que Htmail resultava impronunciável. Foi então que decidiram pela corruptela do Hot, HoTMaiL, como foi inicialmente chamado, assim mesmo, com as letras em destaque.

 

  • Intel
    Bob Noyce e Gordon Moore quiseram denominar a sua nova companhia “Moore Noyce” mas já existia uma cadeia de hotéis com esse nome, portanto eles tiveram de concordar com as siglas de INTegrated ELectronics (Eletrônica Integrada).

 

  • Microsoft
    Bill Gates deu esse nome para representar a companhia que foi criada para dedicar-se à MICROcomputer SOFTware (software para microcomputador). Micro-soft originalmente batizado, o hífen foi retirado mais tarde.

 

  • Motorola
    O fundador Paul Galvin resolveu assumir esse nome quando a sua companhia começou a fabricar rádios de carros. A companhia, na época era então chamada Victrola pois fabricava as famosas vitrolas. Victr = tocador de disco de vinil; victr + ola passou a ser motor + ola.

 

  • Sony
    Da palavra latina “sonus”‘, que significa som, e “sony” uma gíria usada por estadunidenses para referir-se a uma criança brilhante, algo como “filhinho do papi”.

 

  • Sun Microsystems
    Fundado por quatro amigos da Universidade de Stanford, o Sun não tem nada a ver com “sol”, é a abreviação de Stanford University Network.

 

  • Xerox
    A palavra grega “xer” significa seco. O inventor, Chestor Carlson, denominou o seu produto Xerox por ser uma cópia seca, diferentemente do concorrente à época que fazia, até então, uma cópia molhada.

 

  • Yahoo!
    A palavra foi inventada por Jonathan Swift e usada no seu livro as Viagens de Gulliver. Ele representa uma pessoa que é repulsiva na aparência e com bom coração, Yahoo! (algo como brutamontes). Os fundadores Jerry Yang e David Filo escolheram o nome porque eles se consideraram yahoos.

Vi no Mdig