Windows Azure: PHP, Geo-Location e .Net Full Trust

A Microsoft confirmou no Mix 2009 que o Windows Azure, o servidor para aplicações na nuvem foi atualizado e agora há suporte nativo à linguagem de programação PHP. Isso é feito através do FastCGI que também poderá ser usado para outras linguagens e tecnologias. Isso significa que aplicativos rodando no Azure poderão ter serviços rodando em PHP, VB.Net, C#, IronPython, IronRuby e qualquer outra linguagem que funcione com FastCGI.

Em princípio, você pode pensar: mas que bagunça, isso nunca vai funcionar. Mas isso vai de encontro com os objetivos de transformar programas de computador em pequenos serviços, bem granulares e objetivos. Um aplicativo será nada mais que um agregado deles, gerenciado pelo núcleo principal do programa. Não é preciso jogar todas aquelas bibliotecas escritas em PHP fora e que fazem bem o serviço.

Um exemplo de aplicação híbrida, que usa Asp.Net e PHP pode ser vista aqui.

Se alguém dissesse pra mim, em 2001 que a Microsoft estaria dando amplo apoio a tecnologias e linguagens na qual a empresa não tem controle direto, eu concordaria plenamente, pois não se contraria loucos. Mas pelo visto, a empresa tem aprendido (a duras penas, é verdade) que desenvolvedores usam muitas tecnologias diferentes e as empresas não podem depender demais de apenas um fornecedor.

Outra melhoria que a empresa fez no último Community Technologya Preview é o que eles chamam de Geo-Location que significa localizar onde um usuário está e rodar o aplicativo em uma central de dados mais próxima e diminuir a latência e o tempo de resposta do aplicativo.

E uma das novidades fica por conta do .Net Full Trust. Até o momento, todas as funcionalidades da .Net Framework que dependiam de confiança plena do código, como código nativo e funcionalidades disponíveis dentro do .Net SDK, estavam indisponíveis. Agora, é possível destravar essas funcionalidades sem afetar a segurança do restante da aplicação, ainda protegida pelas permissões de execução do usuário.

Então, fica a dica: faça o download do Software Development Kit (SDK) do Azure, crie uma conta e comece a brincar e testar a tecnologia. O MSDN já está abastecido com aplicativos de exemplo, tutoriais e documentação suficiente para você se preparar para o futuro próximo.

Se você não sabe nem por onde começar, sugiro ler esse artigo. Ele explica os conceitos do que é um serviço e a arquitetura por trás de software + serviços. Boa leitura!

 

Fonte: MeioBit

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.