Texto 17/52 – O roubartilhamento de imagens

A muito tempo uso o Flickr como canal de divulgação das minhas imagens. Mas no começo não tinha o hábito de colocar marca d’água.

Em julho recebi uma mensagem pelo Flickr de uma pessoa solicitando usar uma foto minha em um “projeto”. Como não tinha uma posição definida sobre o uso da imagem ou não, demorei a responder. A imagem solicitada é essa aqui:

Passado uns quantos dias,  o Facebook me mostrou que alguns amigos haviam curtido uma página, e a foto do topo da página me pareceu suspeita. Fui olhar com mais calma e, que surpresa, era a minha foto. E ela foi publicada no mesmo dia em que o pedido de uso foi feito. Respondi aquela mensagem pendente. Com duas opções:

1) Removia a imagem do site e publicava um pedido de desculpas pelo uso indevido da imagem OU;
2) Depositava um valor referente ao direito de uso da imagem;

Após alguns dias, recebi uma mensagem informando que a foto seria removida e o pedido de desculpas pelo uso indevido da imagem.

desculpas

Na metade do mês encontrei a mesma foto em um outro perfil. Evidentemente que sem a menor menção de onde a imagem foi retirada (ou o autor). Mas como é em um perfil pessoal não vou esquentar.

Qualquer dia desses escrevo um texto com a parte jurídica do roubartilhamento de imagens. Ainda que disponível na internet (de forma publica ou privada), as imagens tem um dono e esses tem seus direitos.